Notícias da Rede

Em novembro, inadimplência do consumidor cresceu

voltar
 
Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que, no mês de novembro, o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em listas de inadimplentes cresceu 6,03% na comparação com o mesmo período do ano passado. 
 
Trata-se do crescimento mais acentuado para os meses de novembro desde 2011, quando a alta observada foi de 8,1%. Nos demais anos, as altas haviam sido de 0,2% em 2017; 0,7% em 2016; 4,4% em 2015; 3,4% em 2014; 4,0% em 2013 e 3,9% em 2012.
 
Na variação mensal, passagem de outubro para novembro, sem ajuste sazonal, o volume de atrasos também acelerou, com crescimento de 1,9% no período. Com isso, o país encerrou novembro com aproximadamente 63,1 milhões de brasileiros com o CPF negativado em virtude de atrasos no pagamento de contas. 
 
Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, apesar de a recessão ter chegado ao seu fim, a inadimplência do consumidor continua elevada, pois a recuperação econômica segue lenta e não se refletiu em melhora nos níveis de renda e nem em queda considerável do desemprego.