Notícias da Rede

Mês de junho registra crescimento de vendas no varejo

voltar

Segundo o indicador de varejo Mastercard, as vendas do varejo brasileiro tiveram um aumento de 0,9% no mês de junho em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação entre negócios acumulados no segundo trimestre do ano, o crescimento foi de 2,7%. Os cálculos são referentes ao varejo restrito, excluindo as vendas de automóveis e materiais de construção.

Segundo economista-chefe da Mastercard Advisors no Brasil, César Fukushima, o desempenho "modesto" das vendas no mês é reflexo do impacto da Copa do Mundo sobre o varejo. "Apesar de datas comemorativas, como o Dia dos Namorados, terem puxado os resultados para cima, o comércio em geral foi prejudicado pelos jogos, o que não foi compensado nos outros dias do mês", explica.

Entre os setores pesquisados, houve aumento das vendas de móveis e eletrodomésticos, supermercados, artigos farmacêuticos, material de construção e artigos de uso pessoal e doméstico. Enquanto isso, os segmentos de combustíveis e vestuário registraram queda.

A Mastercard avalia que, até o fim do ano, o ritmo de vendas no varejo deve permanecer lento, tendo como principal empecilho para uma expansão mais agressiva das vendas a alta taxa de desemprego no País e as incertezas no ambiente econômico, já que tudo isso pesa sobre a confiança do consumidor.

Na análise por região, Norte (2,1%), Sul (1,7%), Sudeste (1,1%) e Nordeste (0,9%) ficaram acima da média, enquanto o Centro-Oeste registrou que da de 2,3% nos negócios do varejo.