Notícias da Rede

Retail Trends 2019 e o futuro do varejo

voltar
 
O Retail Trends – Pós NRF 2019, evento realizado pela GS&MD Conteúdo e Relacionamento que traz as tendências do NRF Retail’s Big Show, contou com a presença de Walter Longo, sócio-diretor da Unimark Longo. O executivo realizou a palestra “Diário de Bordo – impressões e insights de quem esteve lá”, sobre os principais aprendizados que trouxe de Nova Iorque.
 
Para Longo, a diferença entre preço e percepção de valor é uma forte tendência do varejo que pôde ser notada no evento. “Promoções, eventos, experiência estão entre as estratégias para esta percepção de valor. As pessoas não compram pelo preço, mas pela experiência que aquilo proporciona”, afirmou o executivo.
 
Um dos exemplos é a Starbucks Reserve Roastery, que são unidades diferenciadas da rede de cafeterias que oferecem uma experiência especial para o consumidor. “Ela não vende café, mas a experiência de tomar café”, esclareceu Longo.
 
Outro grande destaque desta edição do NRF Retail’s Big Show é a importância cada vez maior dos dados e analytics para a gestão dos negócios. “Precisamos criar um Big Data que possibilite o controle de tudo que acontece nas empresas e a evolução do comportamento do consumidor”, resumiu Longo.
 
A importância da personalização e da exclusividade do atendimento é cada vez mais forte. Várias lojas, dos mais diversos segmentos têm criado lojas voltadas para isso. “A Levi’s criou a Tailor Shop, onde o cliente pode customizar e criar suas próprias peças. É um bom exemplo desta tendência”, exemplificou.
 
As marcas próprias vêm crescendo no mundo todo. “É uma forma de mostrar o tamanho e a força da empresa, trazê-la para perto do consumidor”, disse o executivo. Elas surgiram como uma forma de vender produtos baratos, mas isso mudou com o surgimento de linhas premium, private label. Além disso, essas marcas não vendem apenas grandes embalagens com uma enorme quantidade dos produtos, mas também em tamanhos menores. “A indústria está muito interessada em ajudar o varejo neste esforço de criação de produtos de marcas próprias”, esclareceu o executivo.
 
A concorrência também “mimou” o consumidor, que quer tudo na forma e na hora certas. Ele não aguarda o recebimento de um produto, que tudo o mais rápido possível e na melhor qualidade. “A velocidade é uma constante nesta equação”, falou.
 
Walter Longo também observou a quebra da fronteira entre os universos online e off-line. “Esta diferença não existe mais. Um bom exemplo é a Amazon Books, com sua livraria totalmente integrada”, contou.
 
Outras tendências por ele observadas são a estética minimalista, com lojas agradáveis e ambientes que se assemelham à casa do consumidor. “Um exemplo é a Aesop, loja de cosméticos que parece quase com o banheiro da nossa casa”, falou.
 
FONTE: Mercado & Consumo